Sobre – Contato – End. SITE

Untitled-imagem-01
Clique na imagem para visitar o SITE, que contém as obras publicadas e todas as traduções realizadas pela autora.

Foto-Capitu01

Ivone Benedetti nasceu em São Paulo.

Sua formação acadêmica foi feita na Faculdade de Letras da Universidade de São Paulo, onde defendeu tese de doutorado em 2004, pelo Departamento de Letras Modernas: Charles d’Orléans, tradução de uma poética, com um estudo da época e da obra desse poeta medieval francês e da tradução de sua poesia.

Atuou também no campo de ensino de técnicas de tradução, com ênfase na gramática contrastiva português-francês.

Em 1987 iniciou a carreira de tradutora, na qual se mantém até hoje. As principais obras que traduziu encontram-se na aba “Traduções” desta página. Trabalhou para várias grandes editoras brasileiras, entre as quais WMF Martins Fontes, L&PM, Objetiva, Paz e Terra, Estação Liberdade, além de vários institutos e fundações: OSESP, Tomie Ohtake, Bienal.

Pela WMF Martins Fontes integrou a equipe de produção de vários dicionários, entre os quais o dicionário Martins Fontes de italiano-português.

Em 2009 estreou como ficcionista, lançando o romance Immaculada, pela WMF Martins Fontes, que foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura em 2010, categoria estreante. Em 2011 lançou o livro de contos Tenho um cavalo alfaraz, também pela WMF Martins Fontes. Sua atividade de ficcionista continua. Tem contos publicados na revista Cult e no jornal Rascunho. Está em fase de finalização o seu segundo romance, ainda sem título definido.

Para entrar em contato, utilize as janelas abaixo:

Anúncios

2 comentários em “Sobre – Contato – End. SITE

  1. Oi Ivone, td bem?
    Meu nome é Denilson e sou doutorando em LA no IEL (UNICAMP). Estou dando aulas de Morfologia e Sintaxe do Ingles e de Lingua Portuguesa num curso de pós graduaçao em Língua Inglesa e Traduçao. Minha área nunca foi a traduçao, mas sim o ensino de inglês, mas estou adorando dar essas aulas. Hoje estava preparando uma delas e achei um texto seu, O mito da estranheza, que irei utilizar neste sábado para finalizar uma discussao acerca da imagem do tradutor no Brasil. Discussao essa baseada num artigo que escrevi sob a orientaçao da professora Viviane Veras. Acabou de sair na revista Graphos (http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/graphos/article/view/4356/3290).
    Achei muito interessante como ele dialoga com seu texto que mencionei.
    Muito obrigada por proporcionar a mim e aos meus alunos uma discussao mais dialógica e intrigante.
    abraços,
    Denilson
    ps: estava ouvindo uma entrevista sua na jovem pan e ouvi que vc mora em Itatiba! Eu sou Itatibense, mas moro em Campinas…..

    1. Denilson, recebi a revista Graphos em papel da Prof. Marta Pragana Dantas e gostei muito. De fato, em alguns textos senti ressonância daquilo que venho defendendo. Dei na USP algumas aulas de gramática constrastiva francês/português. Pessoalmente acho esse tipo de conhecimento extremamente interessante para o tradutor. Sou paulistana, mas moro em Itatiba há 13 anos. É uma região belíssima. Muito prazer em conhecê-lo.

Os comentários estão encerrados.