Anônimo ou invisível? Escriba ou autor?

Embora o título seja pretensioso, meu objetivo hoje é modesto: não vou tratar de tudo o que o ele sugere, só do primeiro elemento, o anonimato em tradução.

Primeiro, acho interessante convidar alguns desses profissionais da palavra, que são os tradutores, a pensarem e pesarem as palavras que circulam pelo meio profissional e, até certo ponto, fora dele, pela sociedade em geral.

De vez em quando leio ou ouço reclamações nas quais se associa o conceito de invisibilidade à ausência do nome do tradutor em alguma resenha ou anúncio de livro. Equívoco conceitual do reclamante, eu diria. Porque, a se acreditar no Houaiss, invisível é o “que não é visível a olho nu; que, devido a um grande distanciamento ou por sua extrema pequenez ou finura, não pode ser visto”. A maioria dos tradutores que conheço dificilmente caberia nessa definição. Continuar lendo “Anônimo ou invisível? Escriba ou autor?”