Carmen Carmen

Carmen Carmen01Às vésperas de mais uma apresentação da ópera Carmen no Theatro Municipal de São Paulo, tive vontade de voltar à novela que lhe deu origem e fazer um cotejo entre as duas versões: a original, de Mérimée, e a ópera de Bizet. Eis aí um trabalho que eu gostaria de fazer com várias óperas compostas a partir de textos em prosa, mas não acredito que venha a conseguir algum dia. Por que os textos em prosa? Continuar lendo “Carmen Carmen”

Il Trovatore: Theatro Municipal de São Paulo, março de 2014

Il Trovatore01Para compor Il Trovatore (O Trovador) Verdi baseou-se na peça homônima (El Trovador) do espanhol Antonio García Gutierrez, escrita em 1836. Pleno romantismo. A ópera de Verdi estreou em 1853, quando o romantismo começava a perder fôlego em literatura, mas não em música. Verdi tinha 40 anos. Era uma fonte inesgotável de melodias, ricas, muitas, inesquecíveis, geniais. Il Trovatore é uma boa amostra desse período (bem diferente da próxima ópera do repertório deste ano, Falstaff, de 1893, prevista para abril). Continuar lendo “Il Trovatore: Theatro Municipal de São Paulo, março de 2014”

O Macbeth de Robert Wilson

“Eu odeio atualizar uma ópera: representar ‘Macbeth’ num supermercado para fazê-la parecer mais moderna não faz sentido para mim.”

Robert WilsonFolha,  18/11/2012

Só essa frase de Robert Wilson me faria aderir completamente ao seu conceito sobre como encenar uma ópera. Wilson aí se opõe a uma tendência forte hoje em dia, que é a de criar cenários atuais para libretti de outrora. Continuar lendo “O Macbeth de Robert Wilson”