Da (in)traduzibilidade: a propósito de Paul Ricoeur

Paul Ricoeur - Sur la traduction

Clique na imagem para ler o artigo (em PDF).

O artigo Da (in)traduzibilidade: a propósito de Paul Ricoeur foi publicado na revista TradTerm nº 10 (Editora Humanitas, da FFLCHUSP), editada em 2006. 

2 comentários em “Da (in)traduzibilidade: a propósito de Paul Ricoeur

  1. Bem-vindo Silvio Levy!?!?! Que negócio mais bigue-brode!

    Gostei muito dos artigos, especialmente o a propósito de Paul Ricoeur, que contém exemplos muito perspicazes. No artigo sobre retraduções e modernizações, ficou a dúvida: Será mesmo vesguice situar em diferentes planos de perfectibilidade o trabalho do autor e do tradutor? Para tomar o extremo oposto, eu ganho meu pão tanto “aperfeiçoando” o trabalho do autor – exercendo todos os matizes do que em inglês se chama de “editing” e não tem bom equivalente em português, que eu saiba – como traduzindo com e sem “aperfeiçoamento”. Mas eu trabalho com textos em que a clareza do conteúdo toma indiscutivelmente prioridade sobre a forma. Merecesse eu, como você, a denominação de literato, não sei se teria coragem de tomar tais liberdades…

    Enfim, parabéns pelo blogue e abraços!

    Silvio

    1. Também acho bem bigue-brode esse negócio. 🙂
      Vesguice aí é de quem acha que o texto do autor é intocável “em si”. Para o autor, ele não é.
      Abraço e obrigada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s